Bauru

14/11/2021 - 05h00

Mudança

Conforme o JC noticiou, o biólogo Dorival Coral não é mais o secretário do Meio Ambiente de Bauru. Ele foi substituído pela prefeita Suéllen Rosim na última sexta-feira. Em seu lugar assume Levi Momesso, que era diretor de Limpeza Pública na Emdurb. Levi já foi secretário de Agricultura e de Administrações Regionais e também ocupou a função de chefe de Gabinete da Presidência da Câmara Municipal.

Especulação

É a segunda mudança no secretariado municipal em duas semanas. Desta vez, o motivo (ou um deles), especula-se nos bastidores políticos, seriam divergências irreconciliáveis entre a Secretaria do Meio Ambiente (Semma) e a Emdurb por conta de pagamentos não realizados à empresa pública e uma possível discordância de Coral em relação a esse débito. É a quarta troca de secretários em pouco mais de 10 meses de governo.

Com atenção

Por falar no primeiro escalão, o novo chefe de Gabinete do Palácio das Cerejeiras, Rafael Lima Fernandes, tem sido muito atencioso no relacionamento com vereadores. Segundo relatos de parlamentares, não deixa ninguém esperando na linha, anota tudo o que é demandado, com o devido retorno, e tem se mostrado solícito e assertivo.

Veneninho

Um dos vereadores com quem a coluna conversou está satisfeito com a nova interlocução, mas mantém certa cautela, com pequena dose de veneno nas observações: "Esperamos que não seja apenas porque cogitou-se uma Comissão Processante (CP) durante a CEI da Fundação, que ainda não terminou..."

O papel da CEI

E sobre a CEI da Fundação, o relatório final da investigação foi apresentado e, em que pesem algumas discordâncias sobre forma e conteúdo, foi aprovado na comissão e o mais importante de tudo é que o documento sirva para que distorções sejam corrigidas, punir eventuais responsáveis por possíveis desvios de conduta nas esferas apropriadas e mostrar à sociedade que para toda ação pública mal executada há reação.

Ordem na casa

Este é um dos melhores motivos de uma CEI: apurar e apontar problemas. Antes da instalação da mesma, quase nada se sabia sobre o desencontro na prestação de contas e formas de pagamentos que a Fundação utilizava. Agora que os fatos são públicos, que o governo municipal coloque ordem na bagunça e que o MP investigue e denuncie, se achar pertinente.

Asserti

Ricardo Schiavon, que é um dos dirigentes do Partido Novo em Bauru, esteve, nesta semana, na audiência pública sobre políticas públicas para a primeira infância. Ele participou em nome da Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação (Asserti), onde dá consultoria.

Ler matéria completa

×