Bauru

23/11/2021 - 05h00

Mudança na Saúde

As especulações sobre a sucessão de Orlando Costa Dias na Secretaria de Saúde estão a todo vapor, já que ele próprio teria afirmado que vai deixar a pasta para ser exclusivamente vice-prefeito, cargo para o qual foi eleito. Se Suéllen Rosim (Patriota) adotar uma receita caseira para substituí-lo, o nome mais cotado é o da diretora do Departamento de Urgência e Unidades de Pronto Atendimento, Alana Trabulsi Burgo.

Quem entraria?

Além de Alana ser médica, ela tem boa relação com o próprio Orlando e com a prefeita. Caso o nome não seja ela ou de fora da atual administração, outras possibilidade seriam o enfermeiro Ezequiel Santos, diretor do Departamento de Saúde Coletiva de Bauru, e a assistente social Lucila Bacci, diretora do Departamento de Unidades Ambulatoriais da Secretaria Municipal de Saúde.

Berriel no DAE?

As possíveis mudanças em cargos do primeiro escalão do governo municipal, junto a possíveis acertos políticos, aliás, foram o centro das conversas de bastidores entre os vereadores durante a sessão do Legislativo nesta segunda (22). Entre as possibilidades apontadas - após suposta aproximação do MDB ao governo municipal, estaria a ida de Guilherme Berriel (MDB) à presidência do DAE. O departamento é assunto em quase 100% dos pronunciamentos de Berriel na tribuna da Câmara.

Sem convite

Se o fato se concretizar, assumiria a vaga de Berriel o ex-vereador Renato Purini. Mas Mané Losila, líder do MDB na Câmara, tentou esfriar os ânimos e afirmou que não recebeu nenhum convite para ser líder da prefeita na Câmara - o que também vinha sendo cogitado - e que o partido local não recebeu nenhum convite para assumir a presidência do DAE. "Ao menos, até agora...", ressaltou.

Sem acordo

Não saiu acordo, nesta segunda-feira (22), na audiência de conciliação entre a Prefeitura de Bauru e Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Bauru (Transurb), para definição sobre o reajuste da tarifa do transporte público urbano. A Transurb ingressou na Justiça para pedir o reajuste das tarifas, de acordo com o previsto no contrato entre as partes. A negativa partiu da administração municipal, que vinculou essa ação a outra que pede recomposição de prejuízos.

Prazo

A juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública de Bauru, Elaine Cristina Storino Leoni, pediu à defesa da Transurb que comprovasse os pedidos administrativos de recomposição, o que já foi feito. Agora, ela deu cinco dias para a juntada de outros documentos e, passando este período, deverá decidir-se sobre a questão.

Ler matéria completa

×