Bauru

04/12/2021 - 05h00

Novas relações

Se depender do tom usado ontem pelo governador em exercício Rodrigo Garcia (PSDB), a cidade de Bauru e o governo do Estado terão um relacionamento melhor a partir de agora. A fala dele, em evento desta sexta, no Teatro Municipal, dá um novo enredo a essa história.

Saber ouvir

"Somos um governo que aceita críticas, sim, porque as críticas podem corrigir nosso trabalho. Jamais o João Doria (PSDB), eu ou alguém do governo deixou de dialogar por receber críticas, porque é assim que se governa. Muitas vezes, a gente aprende com as pessoas, muitas vezes as críticas são necessárias para a gente melhorar nossa ação", disse Rodrigo Garcia.

Só em 2022

Questionado sobre a confirmação de sua pré-candidatura ao Governo do Estado pelo PSDB, e a possível aliança com o PL, entre outros partidos, Garcia disse que eleição é assunto para 2022. E que só no ano que vem se falará sobre política, mas não negou a possibilidade da união entre as siglas.

João Doria

"Nós vamos tratar muito de política em 2022. Tive a honra de ser escolhido nas prévias do PSDB como candidato ao Governo do Estado, e vamos construir um grande programa de governo, mostrar o que tem sido feito, mas o futuro para o Estado. Vamos buscar um arco de alianças que possam acreditar no projeto e naturalmente debater a boa política. Questões partidárias serão definidas mais adiante, o que posso adiantar é que meu candidato a presidência é João Doria", defendeu.

Agro avança

O deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania) informou ontem, durante o Retoma SP, em Bauru, que obteve três conquistas para o setor agro, com o qual tem afinidades, como meio de incentivar o desenvolvimento da economia. São isenções de ICMS sobre a produção de suco integral, que pretende estimular a produção de frutas no Estado; sobre embriões, sémen e genética de alta qualidade, com objetivo de melhoria da pecuária de corte e de leite, e ainda sobre o biodiesel a partir do sebo bovino, forma de ampliar a produção. O deputado estará em uma reportagem sobre a produção regional de etanol.

Skaf e a eleição

De saída da presidência da Fiesp depois de 17 anos, Paulo Skaf (MDB) não descarta nova candidatura na vida político/partidária. "Vou ver a partir de janeiro, vou olhar o cenário e tomar uma decisão. Política é momento, dependendo das circunstâncias e como as coisas estiverem é possível que eu saia candidato no próximo ano, mas tenho outras coisas para resolver antes disso, estou totalmente debruçado em terminar essa missão", disse durante inauguração do ginásio do Sesi, ontem.

Ler matéria completa

×