Bauru

16/06/2022 - 04h50

Bauru em Bauru

O deputado federal Bozzella Junior, vice-presidente nacional do União Brasil, esteve em Bauru na semana passada, quando foi recebido pelo vereador Coronel Meira (União Brasil), entre outros. Quando vieram ao Café com Política, no JC, depois de uma estada em Lençóis Paulista, Meira fez uma recepção diferenciada ao amigo com o original sanduíche Bauru, confeccionado pelo Skinão. "Ele precisava conhecer o verdadeiro Bauru, aqui em Bauru...", disse Meira, lançado por Bozzella pré-candidato a deputado estadual (pág. 4).

Aval de Bivar

"A candidatura do Meira tem análise e aval diretas do Bivar. Inclusive, o Meira foi objeto de discussão interna nossa, quando o Baleia Rossi pretendia carregá-lo para o MDB. Trabalhamos para não deixar isso acontecer. O Meira faz a política de forma correta, 'com P maiúsculo', e queremos conservar os bons conosco. A candidatura dele, então, tem o carimbo e é legitimada pela direção nacional do partido", disse Bozzella.

CEI na polícia

Depois de protocolar, na terça-feira (14), o relatório final da CEI da Educação e a documentação que o compõe na Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil de Bauru, o vereador Eduardo Borgo (PMB) adiantou que também fará a entrega dois documentos ao Ministério Público do Estado, por meio do promotor de Defesa da Cidadania e Patrimônio Público, Fernando Masseli Helene, na próxima segunda-feira (20).

Sem novo relatório

Borgo descartou a possibilidade de reapresentar o pedido de instauração de uma Processante (CP), após as duas tentativas. A decisão, disse ele, ocorre pela informação de que o pedido será feito por um cidadão. O pedido já contaria, inclusive, segundo Borgo, com votos para um empate em 8 a 8, o que pode jogar a decisão para o presidente da Casa, Markinho Souza (PSDB). Borgo disse ainda que não vai judicializar a discussão, já que agora poderá discutir a criação da CP sem restrições.

Perde a força

Fontes na Câmara dão como certa a apresentação de um novo pedido. Mas, na opinião de Markinho, ele já surgiria fragilizado, por estar amparado em um relatório rejeitado. "A palavra descrédito pode até ser usada neste caso", segundo Markinho.

Bom e estranho

'Ótimo a prefeitura aumentar o vale-alimentação dos servidor, mas no começo do ano o sindicato fez uma contraproposta de 625,00 para 650,00, que não foi aceita. Passados 5 meses ela estudou e aumentou em 375,00 o vale, assim do nada?!'. Comentário de um servidor sobre reajuste anunciado ontem pela prefeita. Leia matéria na pág. 4.

Ler matéria completa

×