Bauru e grande região

Tribuna do Leitor

Hora da onça beber água

por Márcio M. Carvalho

25/08/2019 - 06h00

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, exercendo as características conhecidas de legítimo "político do RJ", e combinado com o pessoal do famigerado Centrão, preparou na surdina, com acordos na calada da noite, a aprovação do projeto de abuso de autoridade. Proveniente do Senado e de autoria dos senadores Renan Calheiros e Roberto Requião, réus em dezenas de ações e querendo garantir sua impunidade.

O projeto visa calar juízes, policiais e Ministério Público e com isto garantir a impunidade de políticos do colarinho branco e até do crime organizado. Pior ainda: existem na gaveta da Câmara ainda projetos mais restritivos; como acabar com a delação premiada e a chamada lei da mordaça. Estas leis acabariam de vez com a Lava Jato e garantiriam uma impunidade ainda maior aos políticos e bandidos organizados em geral.

Bolsonaro tem que vetar este projeto, isto é compromisso eleitoral, e o mínimo que um político decente, que se diz honesto, deveria fazer.

Se não vetar, demonstra várias coisas, todas elas negativas: covardia (tem medo de Maia), medo de condenação futura para ele e os filhos, falta de compromisso com seus eleitores e naqueles que viram nele não só uma opção aos desmandos do PT, mas uma garantia de que a política seria, no mínimo, diferente das anteriores.

Este é o momento onde conheceremos se ele é realmente um estadista que quer mudar o país ou apenas um falastrão, fora da casinha e sem compromisso com seus eleitores e com o Brasil. Como diz o caboclo no interior, é hora da onça beber água. Neste momento, ele e ainda o ministro Sérgio Moro vão mostrar se seu discurso é para valer ou vamos novamente ser enganados e nos arrepender de ter votado em Bolsonaro e a defender a Lava Jato e de acreditar em Moro.

Ler matéria completa