Bauru e grande região

Tribuna do Leitor

Ideias em parafuso

por Márcio M. Carvalho

13/02/2020 - 06h00

A cineasta Petra Costa, com seu pseudodocumentário "Democracia em Vertigem", produzido e financiado pelo seu próprio dinheiro, originário da empreiteira Andrade Gutierrez, de quem a família é herdeira direta, conseguiu, apoiada pela esquerda americana, ser escolhida na classificação inicial para o Oscar.

Está nos USA, onde mora, promovendo o filme e falando asneiras como a de que a floresta amazônica será no futuro uma savana, que Dilma sofreu um golpe, que Lula é preso político e que Bolsonaro não é um presidente legitimamente eleito, que a Lava Jato foi perseguição etc.

Felizmente esta abstração de Petra, uma habitante da ilha da fantasia, vivendo 'do povo', ou pelo menos pelo menos com dinheiro retirado do povo, pela empreiteira da família, não foi premiada e agora segue para o limbo da história, depois de seus cinco minutos de fama. Deixando uma centena de fanáticas e fanáticos viúvas ou viúvos, já saudosos do muro de Berlim ou da doce vida da Coreia do Norte.

Uma coisa é pensar diferente, ou ter escolhas políticas diferentes das do presidente ou da maioria dos brasileiros. Sem falar que pela sua condição de beneficiária de herança tão suspeita deveria ficar no mínimo calada em seu berço de ouro. Pior é que esquerdistas tão carentes de heróis depois das revelações da Lava Jato gastam tempo, papel e tinta de impressora elogiando esta picaretagem só comparável à biografia de Lula.

O único apoio público obtido foi da acadêmica de poucas letras Dilma Rousseff, elogiando sua coragem.

No que sem dúvida concordo e acrescento: quanta alienação e quanta cara de pau juntas! É muita coragem mesmo. E vão seguir o mesmo destino da intelectual Dilma - o esquecimento e o desprezo de todos.

Ler matéria completa