Bauru e grande região

 
Tribuna do Leitor

recomendação

por Diretoria Executiva do Conselho de Pastores Evangélicos de Bauru e Região.

23/05/2020 - 06h00

Considerando a iminente flexibilização para realização de cultos e missas presenciais; Considerando os atuais decretos estadual e municipal para enfrentamento da pandemia; Considerando que nossa preocupação não está direcionada apenas à abertura dos templos, mas também a toda a população bauruense e à flexibilização de abertura para o comércio local, a diretoria do Conselho de Pastores Evangélicos de Bauru e Região vem, por meio desta, ponderar e recomendar.

Ponderamos que:

- a abertura imediata dos templos para cultos presenciais não seria conveniente, uma vez que o prazo dado é 31 de maio para início de flexibilização em áreas de menor risco;

- a abertura dos templos, nesse momento, pode vir a ser um canal de disseminação do vírus, podendo até mesmo ocasionar futuramente uma possível responsabilização social ou penal dos pastores que, precipitadamente, agirem assim. Levamos em consideração que outros segmentos da sociedade, responsáveis por aglomeração de pessoas, inclusive o comércio, não receberam ainda autorização para abertura. Nessa situação as Igrejas poderiam ficar como as únicas responsáveis por disseminar o vírus, caso ocorra um aumento de infectados;

- além disso, a Igreja em Bauru pode, neste momento, demonstrar solidariedade aos milhares de empresários e seus trabalhadores que, mesmo diante do risco de falência e comprometimento financeiro pessoal irreversível, tentam sobreviver com seus negócios e aguardam o momento certo de liberação de suas atividades na cidade.

Recomendamos:

- A não abertura imediata dos templos para cultos presenciais, mesmo havendo a normativa municipal nesse sentido. Pedimos aos respectivos líderes e pastores aguardarem o dia 31 de maio, quando haverá novo direcionamento estadual.

- O Conpev não possui ingerência sobre nenhuma Igreja local e cada pastor é responsável e livre para tomar a decisão que achar melhor, mas recomendamos prudência nesse momento de crise que atinge a todos.

Ler matéria completa