Bauru e grande região

 
Tribuna do Leitor

Princípio da Materialidade Existencial Física

por José Carlos Felix de Abreu

22/11/2020 - 05h00

Por todas as redes sociais, é público e notório, não há como confiar nas urnas eletrônicas, pois não temos como auditá-las para o esclarecimento da verdade. Para muitos cidadãos comuns, as eleições do último dia quinze de novembro cheira-se a fraude. Não direi nomes, por razões éticas, mas é muito duvidoso: na cidade mais politizada do País, creio eu, o prefeito fechou o comércio, lacrou as portas dos estabelecimentos com solda elétrica; causando desemprego, falências de pequenos e médios empresários e, mesmo assim, é eleito para o segundo turno? Não dá para acreditar! A Suprema Corte alemã declarou como inconstitucional o voto em urna eletrônica; já o nosso STF declarou que o voto impresso é inconstitucional. Alguém está errado, ou nós ou eles. Neste caso, os dois estarem certos é praticamente impossível. Nós, brasileiros, temos de lutar pelo restabelecimento do voto físico, porque, daí, havendo dúvidas pode-se pedir recontagem dos votos. É muito estranho, urnas eletrônicas só existem, além do Brasil, em Cuba e na Venezuela, isto é, em ditaduras comunistas. Na minha modesta opinião, voto somente em urna eletrônica, sem que seja impresso, é fraude.

Não sei se o princípio que agora falarei a respeito existe no direito... E peço aos entendidos se manifestarem a respeito. Do contrário, até alguém provar, eu acredito que criei um princípio do direito, ou seja, o Princípio da Materialidade Existencial Física. Quero dizer com tal princípio que tudo relativo ao Estado deve necessariamente estar registrado em documento físico. Ninguém chega numa seção eleitoral e vota sem mostrar nenhum documento para provar que ali o lugar onde ele deve exercer o direito de voto, além de provar a própria existência com documentos elaborados anteriormente pelo Estado. Mas o voto é no mundo virtual? O voto impresso é onde o cidadão materializa a sua vontade diante do Estado, indicando o seu representante. Que vergonha!

Lamentavelmente, no Brasil temos uma eleição sem princípios, pelo menos neste ponto: o do princípio da materialidade existencial física. Podemos mudar tudo, mas princípios e valores são eternos.

Mudá-los significa insanidade, pois princípio o nome já diz tudo: assim se é o início das coisas. Claro que o voto impresso não resolverá todos os nossos problemas, porem, da forma como está, não d á mais para aceitarmos, embora o voto é apenas tiro de partida e não fita de chegada.

Ler matéria completa