Bauru e grande região

Tribuna do Leitor

vai com deus, amigo

por Helder Fernandes de Aguiar, médico

22/01/2021 - 05h00

Que maneira péssima de acordar.
Estou anestesiado e sem saber o que pensar, a quem culpar, o que falar; sei a quem agradecer! A Deus, por ter tido a honra de conhecer e conviver por muitos anos com o dr. Clovis Celulare, o Clovinho. Tratou meus filhos e meus netos com amor, paciência e dedicação, exatamente como tratava a todos com quem se relacionava! Pacientes, amigos, família, colegas, enfim, quem teve o privilégio de o conhecer.

Trabalhamos juntos por um bom tempo no Centrinho e na clínica; me acompanhou em viagens a Aparecida do Norte em algumas ocasiões, embora não fosse católico, para me fazer companhia e entender o porquê de eu voltar dessas viagens revigorado.

Falava da família com um brilho nos olhos indescritível: Gil, Deborah Natalia, Pedro e agora os netos. Quanto orgulho dessa família, não maior do que o orgulho dessa família por ele.

Quando veio a pandemia, alguns se esconderam e se recolheram. E o Clovis? Foi atender aos seus pacientes, os quais curava com palavras e atenção, às vezes sem qualquer receita de medicamentos.

Trabalhou até o último dia, antes dos sintomas da Covid se manifestarem. Fica seu enorme legado. Não vai ser fácil olhar para a sala de ambulatório do HRAC/Centrinho às quintas e sextas e não ouvir o "Bom dia, Heldão".

Fica seu carisma, seu imenso legado, seu carinho e sua amizade. Cumpriu sua missão. Vai com Deus, amigo querido. Sua saudade já machuca o coração. Que seu brilho ilumine ainda mais as noites aí no céu. Um dia nos encontraremos para colocar os assuntos em dia. O céu e o paraíso estão em festa.

Ler matéria completa