Bauru

Tribuna do Leitor

Terra de ninguém!?

por Demerval Assis da Silva

19/06/2022 - 05h00

Não, o Brasil não é terra de ninguém, pois quando os aventureiros (esses sim) brancos aqui atracaram suas caravelas, no ano de 1500 (vide livros de história), foram tomando posse do que não lhes pertenciam. Os índios aqui já estavam (nome dado erroneamente aos habitantes presentes, por pensarem ter chegado a Índia). Fato esse que aconteceu também em outros continentes, iniciando- se assim massacres dos seus legítimos donos, em prol daqueles que se diziam ou pensavam ser os civilizados.

E ainda hoje no Brasil passamos por coisas absurdas, que nos causam tristeza e vergonha. Como agora, os assassinatos bárbaros do indigenista Bruno Pereira e do Jornalista estrangeiro Dom Phillips. Caso que aconteceu em uma área da Amazônia crítica, devido à rota do tráfico de drogas com países vizinhos. E o pescado ilegal levado para fora do país, com fins escusos.

E com ataques cada vez mais comuns aos povos indígenas dessas regiões amazônicas, temos também a exploração ilegal da madeira. Fato já tão discutido, do ecossistema considerado "o pulmão do mundo". Entrando também nessa desfaçatez, o garimpo ilegal de ouro nos rios. Grandes recursos hidrográficos, que acabam poluídos por metais pesados, usados pelos garimpeiros na extração do metal. Causando danos sem precedentes à saúde de quem depende da pesca, dos rios da região, como forma de subsistência. E levados a muitos quilômetros do local pelas águas destes ou de seus afluentes, numa espécie de efeito dominó.

Tudo isso em curso, muito antes da tragédia ocorrida recentemente com Bruno Pereira e Dom Phillips. E que arrastam, com mais força, o foco do mundo (civilizado) inteiro para o Brasil, que cada vez mais mal visto tem ficado.

E para um problema sem solução, que pelo descaso do presidente Bolsonaro só piora. Ele deveria, de há muito, ter tido ações concretas. Estas, pela tamanha relevância que envolve o caso. Mas que, como já temos visto, tornou-se caso comum e fato comum, vemos o presidente dando de ombros: "também, foram se meter em aventuras!" ou "E daí eu não sou coveiro?!", dentre tantas esdrúxulas falas.

Então, o que podemos fazer, além da pergunta de alguns gênios que nos cercam: "entendeu ou quer que desenhe?".

Entendo que precisariam sim desenhar, cérebros "privilegiados" que seriam, que concordam, e querem vender as ideias e ideologias desse governo. Então, que se façam primores de desenhos. Porque não dá para entender onde deveríamos chegar com essas linhas de pensamentos.

Defender o armamento de uma população (que não tem tido o básico para se viver), negando a ciência, como no caso das vacinas que salvaram tantos. Estar sempre contra a racionalidade. Isso sem argumentos sólidos e tangíveis. Agora, se puder desenhar for melhor do que falar ou escrever, que desenhe então!

Ler matéria completa

×