Bauru e grande região

Segundando

Grazie, Itália!

por João Jabbour

02/10/2017 - 07h00

Grazie, per la bela festa, professora Ilda Rugai Delicato, presidente da Sociedade Italiana Dante Alighieri, de Bauru! Viva os 111 anos da longeva instituição que mantém viva e vigorosa a cultura e as tradições da Itália na cidade e região.

Por sinal, a Dante Alighieri é a mais antiga das associações criadas por nossos valorosos imigrantes, lá no começo do século passado.

No último sábado, a contagiante canção, os costumes, a alegria e culinária da Itália foram celebrados em altíssimo astral, no saboroso Buffet Mantovani. Meu lado Jabbour ficou em casa, descansando. A metade Garófalo, que veio de Caserta, na região de Nápoles, com meu avô materno Caetano, aflorou com entusiasmo no Jantar Italiano da Dante Alighieri.

Animando a festa, o tenor Ricardo Bombarda não só cantou os imortais sucessos italianos como, também, em um gesto de respeito e patriotismo, os hinos da Itália e do Brasil. Bombarda esteve acompanhado da esposa, a Intérprete Fernanda. Não foi apenas um show como outro qualquer, foi animação durante toda a festa, mais de três horas de performance que pôs a todos para ao menos se levantar e bater palmas, principalmente na hora da tarantela.

Comentava com o descendente de italianos Fernando Mantovani, proprietário do buffet, sobre o fato de que a Itália, além de ser um país bonito e romântico, ao contrário de Londres, Paris, Berlim e Bruxelas não tem enfrentado problemas com atentados terroristas, pelo menos recentemente.

Encontrei uma explicação em um site de notícias português chamado Sabado.pt: "Especialistas apontam, sobretudo, para duas razões: a experiência proporcionada pelo combate à máfia e o número reduzido de segunda e terceira geração de imigrantes de origem muçulmana. A informação foi dada por Francesca Galli, professora na Universidade de Maastricht e especialista em políticas de contraterrorismo. Segundo ela, a atividade policial e das agências de informação desempenham também um papel fundamental. Um dos responsáveis pelo ataque na ponte de Westminster, em Londres, no último 3 de Junho, o italiano de origem marroquina Youssef Zaghba, era alvo de uma vigilância apertada sempre que estava na Itália.

Por falar na polícia italiana, durante o show de sábado, Bombarda fez referência à famosa Operação Mãos Limpas, que combateu a corrupção na Itália e serviu de inspiração para sua similar Lava Jato, no Brasil, à qual desejou sucesso. Lá, como aqui, as ações da Justiça Federal, Polícia Federal e Ministério Público federal sofreram duros ataques da classe política.

Não por acaso a Itália é um dos países maios influentes do mundo (está entre os 10 primeiros em qualidade de vida). Tem muita história para contar. Roma, a capital, foi durante séculos o centro político e religioso da civilização ocidental como capital do Império Romano e sede da Santa Sé. Berço de grandes movimentos civilizatórios, a Itália influenciou fortemente a cultura e o desenvolvimento da Europa e do resto do mundo.

Também teve extremos, como o fascismo, derrotado na Segunda Grande Guerra. Aliás, Bombarda disse, durante seu show, com sotaque italiano: "Amamos com a mesma facilidade que odiamos. Sorrimos com a mesma facilidade com que choramos, mas nunca mexam com nossa família!". Assim, ele pincelou um conhecido e marcante traço da passionalidade e do fervor do italiano, povo conhecido por ser alegre, divertido e comunicativo, que gosta muito de dançar, cantar, conversar e fazer festas. Falam alto, geralmente gesticulando com as mãos, e adoram reunir a família para os tradicionais almoços de domingo.

Na música, a Itália é um dos principais berços da ópera, com destaque para Rossini, Puccini e Verdi. O 'país da bota' é repleto de museus de arte. A arte romana e renascentista se destaca, influenciando vários grandes artistas e estilos artísticos durante a história.

E o que dizer da culinária?! Nem precisa, não é?!

'Mangiare, ti fa bene', como dizia Dom Pópolo.