Bauru e grande região

Segundando

Copa dos trocadilhos

por João Jabbour

24/06/2018 - 07h00

Cada um curte a Copa a seu modo. Alguns estão eufóricos, outros precavidos, uma parte anda aborrecida com ufanismos típicos desta época e tenho reparado que vários cérebros mais criativos estão 'narrando' os jogos e acontecimentos da Rússia com trocadilhos. E morrendo de rir.

Como diz Gil Barros, 'isprissionante' tanta rapidez de conexão entre neurônios de alguns amigos, de gente anônima e mesmo de gente mais famosa.

Quer dois exemplos deste último grupo? O jornalista Juca Kfouri escreveu quinta-feira que 'O Peru morreu na véspera...', em alusão à desclassificação da equipe sul-americana antes do tempo, logo na segunda rodada da primeira fase.

Já outro respeitado especialista esportivo, Paulo Vinicius Coelho, conhecido como PVC, afirmou que 'O Canguru não é perneta!', referindo-se elogiosamente à equipe da Austrália, que tem jogado um futebol surpreendente na Rússia.

O rei dos trocadilhos e chistes na redação do Jornal da Cidade é o João Pedro. Saem dele algumas pérolas sobre esta Copa, como dizer que se a Arábia fizer um gol de cabeça com o Osama, o título seria "Osama nas Alturas". Ou que "o colombiano Quadrado saiu porque só joga bem ao lado do mexicano Lozano. Os dois têm ótima triangulação quando atuam contra o argentino Redondo".

Outro amigo em comum, o Neto, me saiu com essa, vendo o jogo da França contra o Peru: "Pensam que só o Brasil tem Tite? A França também tem Umtiti."

Já o Marcelo observou que "com o Honda em campo agora o jogo do Japão ficou mais acelerado..." Somos amigos em um grupo de WhatsApp chamado "Vai Curintiá!". Imagina quanta filosofia, antropologia e sociologia rola por lá...

O grupo também conta com o Vitor, que observou, durante o jogo em que o México venceu brilhantemente a Alemanha, particularmente um jogador mexicano: "O cara tá fazendo um 'Salcero' na zaga da Alemanha..."

E por aí vai... Aliás, já tem gente no grupo ficando "Putin" da vida com tantos trocadilhos. E a Copa só está começando...

E os memes?! Estão aos milhares na grande rede mundial de computadores a cada rodada do torneio. Aliás, tem gente passando absurdamente do ponto, haja vista aqueles babacas brasileiros que resolveram 'zoar' com mulheres russas. Mas já estão pagando o devido preço, após envergonharem o País.

O bom é que, no geral, como diz aquele jogador, "eu se divirto...".

Um amigo anunciou outro dia que "futebol é assim mesmo, quem faz mais gols acaba ganhando...". Para ele, pelo jeito, futebol não é uma caixinha de surpresas... Esse amigo é daqueles que somente de 4 em 4 anos se lembra que existe futebol no planeta redondo. Ainda assim, fica na dúvida cruel se vai torcer para a Seleção Brasileira ganhar ou perder. Porque as mazelas do País são muito grandes e ele ficará com a consciência pesada se tomar algumas doses desse ópio popular.

Besteira ficar irritado. É como garantiu um jogador, há uns anos atrás: "A partir de agora, meu coração só tem uma cor: verde e amarelo".

Temos de nos unir!

Não tem jeito, "quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe...", revelou recentemente um atacante de sucesso, que jogou em vários times do Brasil. E foi bem esse o clima do jogo contra Costa Rica, sexta-feira. Ficou um cheiro forte na sala de casa, todo mundo nervoso... e a naftalina lá em cima...

Aliás, sobre esta partida de sexta-feira, como joga o Philippe Coutinho, hein!? Se o velho presidente do Corinthians Vicente Matheus estivesse vivo, teria dito: "O Coutinho é invendável, inegociável e imprestável".

O jogo contra Costa Rica me lembrou a infalível receita de um jogador da seleção de Portugal, numa Copa passada: "O time estava à beira do precipício, mas tomou a decisão certa, deu um passo a frente...".

E vamos manter a fé. Ela é tudo. Neymar, por exemplo, tem sorte de jogar ao lado de Jesus. Cada vez que ele cai, Jesus fala: "Levanta-te e anda."

Tudo isso, gente, para que logo após o jogo final da Copa, em 15 de julho, Brasil campeão, país em festa, um jogador da nossa Seleção envie um zap para a família: "Chegarei de surpresa no dia 17, às 2 da tarde, voo 619 da Latam"...